quinta-feira, julho 12, 2007

Dúvida

É possível convencer uma criança a não dizer mentiras ou fazer asneiras ou mal a alguém sem recorrer à religião, não é?

15 Comments:

Blogger Karla said...

Espero bem que sim, que cá em casa somos agnóstico-ateus :S

Mas acho que sim, quanto mais não seja pelo não faças aos outros o que não queres que te façam a ti, que pode fazer parte do Cristianismo mas também faz parte de outras religiões e, sobrenatural à parte, é um bom lema de vida. Digo eu...

12/7/07 12:48  
Blogger Mar said...

É, sim, Sophie.

Eu fui educada sem nenhuma referência à religião e saí assim mais ou menos ;)

Explica-se, à medida que vai sendo possível, que as asneiras têm consequências, as mentiras também, que podem magoar-nos e magoar os outros.

12/7/07 14:14  
Blogger patrícia said...

Estas a falar da educação em geral, ou desta fase enquanto pequenos?
Pode não ser muito pedagógico,mas eu vou ameaçando com as actividades. Se te portas mal não vais à piscina,à música, etc.
Para a educação "vitalícia" é como diz a Mar, vamos ensinando o que é certo e o que é errado e vamos mostrando as consequências dos actos.

12/7/07 14:27  
Blogger mãe said...

Sim. Cá em casa não se pode porque, não está certo. E ponto.
E as coisas são para se fazerem certinhas e mais nada. E de vez em quando falha(mos) e depois emenda-se e sofrem-se as consequências.

12/7/07 14:41  
Blogger Cool Mum said...

É. Os valores com H grande são universais.
Ainda o outro dia me lembrei de como a mim me diziam 'olha que Jesus castiga' e eu nunca utilizei tal frase com as miúdas. Aliás o infantário onde andaram é de irmãs missionárias e os valores são passados como tal, sem 'strings attached'.

12/7/07 14:43  
Anonymous Sophie said...

Eu também não uso esse tipo de frases, mas quando no outro dia lhe dizia que não podia ou não devia fazer qualquer coisa e ela argumentava com "mas e se tu não estiveres a ver?", lembrei-me da catequese e de nos dizerem que Jesus via e sabia tudo, até o que estamos a pensar. :)

12/7/07 15:03  
Blogger Costinhas said...

Para mim nem nunca me passou pela cabeça explicar tais valores com base em crenças religiosas.

12/7/07 15:05  
Blogger patrícia said...

Sim Sophie, a mim também me diziam isso eeu lembro-me bem do terror que sentia. A sério, terror mesmo. Só de imaginar que nem os meus pensamentos eram só meus ficava aterrada. Por isso é que tb não utilizo essa tactica.

12/7/07 15:18  
Blogger Cool Mum said...

Podes dizer que as mães sabem tudo... lembro-me de dizer isso uma ou outra vez ;)

12/7/07 15:34  
Blogger Susie said...

Credo...claro que sim! Não faltava mais nada :)

12/7/07 16:01  
Blogger Clara said...

não, não é difícil. Embora eu seja católica e os meus filhos também, nunca recorri a tal. Sempre lhe disse que se ela mentisse e eu descobrisse, depois não ia acreditar mais nela mesmo que dissesse a verdade. Em relação ás asneiras, pois, são os castigos terrenos que a demovem, nunca a religião (até porque reclama à boca cheia que ir à missa e à catequese é "uma seca", logo aí não me parece que tema castigos divinos).

12/7/07 23:02  
Blogger claudia said...

Bem!! Idem, idem a todos os comentários anteriores!!

;)

13/7/07 10:36  
Anonymous Anónimo said...

isso era uma pergunta retórica, não?!

:)

13/7/07 22:22  
Anonymous Zuza said...

credo! jesus! cruzes!

:DDD

cá em casa a religião entrou ainda muito pouco. vai aprendendo coisas nos avós e vamos por aí. a religião que castiga e vigia não a quero mesmo! joga no mesmo clube do papão e do polícia!

18/7/07 12:56  
Blogger Kika said...

Subscrevo os comentários anteriores. Cá em casa não se fala em religião, mas ensinamos-lhes que mentir não é bonito, e que depois as pessoas descobrem e não acreditam nunca mais nelas.
A história do Pedro e o Lobo é uma boa forma de eles entenderam o que queremos dizer.
Qunato às asneiras... há asneiras e asneiras, umas são asneiras para nós, mas para eles são descobertas, as outras perigosas, tento explicar o perigo, ous as consequencias que podia haver.
Bjs

24/7/07 21:21  

Enviar um comentário

<< Home